Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Santacombadense

por neves, aj, em 01.03.07

Ser ou não ser SANTACOMBADENSE

A questão começou com um daqueles habituais porquês de minha filha, que apesar de já não ser criança, insiste, para meu gáudio, em continuar a colocá-los.
- Pai, porque é que o termo Santacombadense não aparece nos dicionários e enciclopédias?
Em verdade vos digo caros leitores, e em especial aos conterrâneos, que não tenho ideia de algum dia ter andado a rebuscar nos calhamaços o vocábulo que eu considerava (e considero, ora) como o nosso gentílico, aquele termo que nos identifica a nós cidadãos, à nossa terra e a tudo a que ela diga respeito. As razões provavelmente estarão inerentes ao facto de que o termo SANTACOMBADENSE sempre foi para mim um dado adquirido, briosamente herdado dos nossos antepassados quer por via oral quer na escrita e que sempre divulguei com prazer e orgulho.
Em vias de tal, a curiosidade da filha ficou sem uma resposta clara e objectiva e após (frustradas) buscas e rebuscas nos tratados, mais não me restou do que dizer-lhe naquele jeito de pai sabichão que a Voz do Povo é quem manda e que o termo SANTACOMBADENSE está mais do que enraizado e jamais se perderá. E ainda... que, bem ou mal construído, ele se sobreporá a todos os outros inventados pelos doutores das línguas (ou a elas relacionadas) que parece que têm o defeito de costurar os livros em gabinetes fechados não se preocupando em auscultar a fala do Povo, afinal um pouco à semelhança de outras cabecinhas que traçam no papel quase de igual modo as estradas e as escolas do país sem conhecerem o terreno in loco ou o próprio clima da região.
Será que  um linguista nunca nos visitou? Mesmo que nem um jamais tenha ido provar as águas do Dão, apontem lá a este leigo curioso o erro cometido ao adicionar o sufixo -ense à palavra primitiva Santa+comba+dão para formar por derivação, segundo eles dizem, o nosso mui amado SANTACOMBADENSE.
.Em frenesim, não parei com as buscas e, entretanto, descobri um Dicionário de Gentílicos onde fiquei deveras esclarecido e estarrecido... afinal, passados que são 51 anos, fiquei a saber que, lexicalmente, não sou reconhecido como SANTACOMBADENSE e sim como santacombense (santa-combense) ou santacolumbense (santa-columbense).
O primeiro daqueles termos enviei-o logo para o espaço já que me sabia a pouco e nunca o ouvi da boca do Povo, mas até me identifiquei com o segundo visto que mergulhando nas origens da nossa cidade chegamos a Santa Columba. Além do mais, o termo Santa Columba é hoje frequentemente usado e é bom recordar que há muitos anos, mais do que aqueles que eu somo na vida, existiu um jornal denominado SANTACOLUMBENSE e um clube desportivo com o mesmo nome, que segundo consta equipava de azul e daí, talvez, a razão de os nossos Pinguins, o Desportivo Santacombadense, serem filial do CF Belenenses.

SER OU NÃO SER SANTACOMBADENSE
sondagem

No entanto e apesar do que acabei de expor acho que me assiste o direito de colocar tudo em pratos limpos e assim poder carregar até ao fim da minha vida o gentílico SANTACOMBADENSE devidamente reconhecido. Usei então um trunfo que escondi de minha filha e entrei em contacto com o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, um portal na internet que nos auxilia a tirar dúvidas linguísticas. Mas a resposta do Ciberdúvidas igualmente me soube a pouco, não me esclareceu e apenas confirmou o que eu já sabia, alimentando-me no entanto a esperança de que no futuro o termo SANTACOMBADENSE certamente iria fazer parte dos dicionários. Treta para boi dormir, como por aqui se diz, porque para um termo ou vocábulo passar a fazer parte do léxico será necessário lá colocá-lo e, como o nosso não o foi até agora pergunto então... quem o vai lá colocar para que todos nós ligados a Santa Comba Dão possamos ter a nossa identidade legalizada ou reconhecida?
É claro e intuitivo, meus caros, que a luta terá que ser nossa. Teremos que ser nós SANTACOMBADENSES, todos nós, os nados, presentes e ausentes, os residentes e ainda todos aqueles que possam sentir alguma identificação ou simpatia para com a nossa terra. Assim, com o devido respeito e em prol do reconhecimento escrito da nossa identidade lanço então o desafio às nossas instituições (Câmara, Pelouro da Cultura, Assembleia Municipal, Associações, Escolas...) para darem o primeiro passo.

Post-scriptum - em tempos de novas tecnologias onde os dicionários "online" avançam à velocidade de um raio e permitem actualizações temporais sempre que o homem quiser, não nos parece descabida a nossa pretensão de acelerar o processo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:48

Pedido de Solidariedade

por neves, aj, em 01.03.07

Esta é a mensagem que chegou até ao Voz do Seven. Se o estimado leitor/visitante estiver interessado em participar na divulgação do PEDIDO DE SOLIDARIEDADE via e-mail tem duas alternativas:
–  "copiar" o texto (a cinza) e "colar" na mensagem a enviar
– fazer o download do ficheiro alojado no eSnips do Voz do Seven.
(salva para o seu disco e depois envia como anexo)

PEDIDO DE SOLIDARIEDADE
PEDIDO DE SOLIDARI...
Hosted by eSnips

PEDIDO DE SOLIDARIEDADE

Necessito da sua Solidariedade!
Adquira para a sua biblioteca, ou ofereça, um livro escrito e editado por mim.

Exmos. Sr.

Poderia vossa excelência por solidariedade, ajudar-me, adquirindo, alguns exemplares da minha obra “Culpado me Confesso”, livro com 224 páginas, e cujo preço é de 12 euros cada, mais gastos de envio pelos CTT.

Tenho 52 anos, e sou paraplégico com 80% de deficiência, como deficiente a sociedade não me dá outra oportunidade, assim tenho que continuar a escrever; porque, “temos que sentir os pensamentos e pensar nos sentimentos.”

Se por alguma razão não me puder ajudar, seja solidário e envie este e-mail aos seus amigos. No mínimo a dois, por favor. Obrigado!

Espero que o senhor(a) não seja deficiente, mas não esqueça, que o que me sucedeu pode acontecer a qualquer um!

Como indicador, saibam, que algumas Câmaras Municipais, já compraram o meu livro. Entre elas por exemplo, aCâmara Municipal de Ponte de Lima, de Guimarães, de Famalicão, etc.

Os meus dados pessoais são:

José Leones Lima
Av. 25 de Abril, 105, R/C Dto.
Monserrate
4900-496 Viana do Castelo

Cont. Nº. 201581930 - Telemóvel: 969 268 970

Sem retenção de IVA, de acordo com o art. 9º, nº 1 D.L. nº 42/91, de 22/1.

Para me conhecerem melhor, visitem o meu Site, em:

http://webleones.home.sapo.pt

Com os melhores cumprimentos
J. Leones Lima

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:21

Subscrever Voz do Seven

por neves, aj, em 01.03.07

Subscrever Vozdo Seven

Não custa nada a preencher, é grátis e como brinde ainda ireis receber mail cada vez que houver novidades lembrando-vos que deveis vir até aqui. É bom recordar que aqui no Voz do Seven não existem contratos vitalícios e em qualquer momento podereis anular essa subscrição... através deste mesmo "quadro" ou através do tal mail recebido (no finalzinho, em link logo após a indicação de unsubscribe) que anuncia a publicação de novos textos no Voz do Seven.
Carinhosas saudações

Subscrever Voz do Seven
E-mail

Subscrever  Anular 



Free Mailing Lists from Bravenet.com

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:21

Manuel Bento

por neves, aj, em 01.03.07

O falecimento de Bento, um dos guarda-redes que marcou a minha geração, ultrapassou as fronteiras e foi notícia nouol.com.br.  Brioso defensor das cores do SL Benfica e da Selecção Nacional, rivalizou no ceptro de "melhor goleiro" com Vitor Damas, do Sporting CP, também já desaparecido do mundo dos vivos.

Photobucket - Video and Image Hosting

Manuel Bento noMaisFutebol – fotos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:45




calendário

Março 2007

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031