Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



um em dois

por neves, aj, em 07.02.08

Photobucket... quase em três, ou por outras palavras como um adepto torcedor consegue estar atento a dois desafios de futebol disputados exactamente à mesma hora: ouvidos no Portugal-Itália (1-3) através da Antena 1 e olhos no Rep. Irlanda-Brasil (0-1) via TvGlobo e não sair do lugar para assistir logo de imediato ao Paulista-Portuguesa (1-1), este já a sério a contar para o Campeonato Estadual de S. Paulo, Séria A. Claro que durante aqueles dois encontros amistosos, particulares, amigáveis ou de preparação (diz ainda o povo "jogo a feijões") a televisão teve que estar 90 minutos em completa mudez, o que, e diga-se de passagem, foi uma autêntica benção já que nos livrou de aturar ascaganças de Galvão Bueno.
Se, porventura, houvesse vontade de escrever crónica boleira ela foi-se de imediato após mais esta pizzada italiana verdadeiro presente envenenado a um Scolari em aniversário de 5 anos à frente da Selecção das Quinas. Pois é. Parece que com a Itália nada a fazer caro Felipão, nem Nossa Senhora de Caravaggio de quem és crente te consegue valer. Como o problema é real e nada tem a ver com o sobrenatural não te pedimos que mudes de protector, mas sim que afines os pés aos teus pupilos que já têm uma certa obrigaçãozinha de disputar taco a taco, de igual para igual todo e qualquer desafio contra que selecção for. Bom, mas como foi a feijões a malta nem leva muito a peito. Certamente que hoje, Quinta-feira, principalmente à hora da bica ou em reuniões futeboleiras nas inúmeras barbearias espalhadas do Minho ao Algarve não esquecendo as da Madeira e Açores, te fizeram a barba, cortaram-te na casaca e xingaram-te até dizer basta, mas amanhã é outro dia e já ninguém se vai lembrar da derrota e muito menos dos trinta e tal anos em que não sabemos o que é vitória sobre os transalpinos... excepto, claro, aqueles jornalistas teus amigos da onça ou de Peniche que esperam pacientemente como urubus que tu te vás abaixo das canetas. Põe-te a pau, pá.
Bom, mas ainda há muito tempo para olear a máquina. Vamos com calma, que até Junho muita água passará sob as pontes e muitas arestas podem ser limadas. Para mais não esqueçamos que os nossos bravos vão carregar baterias em estágio feito na mui bela cidade de Viseu no coração da nossa Beira (Alta).
Sobre o desafio do Brasil também não nos vamos pronunciar. O que é certo é que foi um bom teste contra uma equipa possante fisicamente e com formação onde faltaram peças importantes, o Brasil fez o que o futebol exige: venceu.
Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketQuanto à Portuguesa de Desportos lá vai indo, não cantando nem rindo, mas também não chorando. Mais um empate que não ata nem desata e que nos preocupa: é que uma derrota pode atirar a Lusa para a zona de rebaixamento, o inferno de onde se torna difícil de sair.
Ergue-te aí ó Lusa em nome dos teus egrégios avós.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:54

Carnaval 2008

por neves, aj, em 07.02.08

Rio de Janeiro

PhotobucketNo Rio, o Carnaval teve um cheirinho português. Aliás, dois cheirinhos: um no primeiro e outro no segundo dia de desfile das "escolas" do grupo especial (a 1ª divisão, chamemos-lhe). Registe-se, no entanto, que este aroma lusitano não foi por acaso, antes sim por "imposição" da Prefeitura (Câmara Municipal) que desejou dar ainda mais ênfase às comemorações dos 200 anos da Chegada da Corte Portuguesa ao Brasil [a merecer destaque no Voz um dia destes]. As escolas "escolhidas" foram aquelas que desfilariam em primeiro lugar em cada um dos dias tendo por sorteio saído a sorte a São Clemente no primeiro e Mocidade Independente no segundo dia.
Fique registado que não se pretende ofuscar avitória da Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis por iniciarmos assim esta crónica. De jeito nenhum. Até endereçamos os parabéns. Simplesmente a nossa pretensão nesta entrada é divulgar (e valorizar) o que se relaciona com a Pátria Lusa neste Carnaval, o que é perfeitamente compreensível dada a nossa condição de lusitano.
Assim, a Escola de São Clementeexplorou a figura de D. Maria I, a Piedosa, Rainha de Portugal que enlouqueceu e que foi substituída nas funções por seu filho D. João, o Príncipe Regente, futuro Rei D. João VI. Foi nessa condição que a Rainha por aqui aportou em 1808, aquando da fuga a Napoleão, e ficou conhecida como D. Maria, a Louca. Digamos então que a Escola "juntou a Família Real e a loucura". [enredo]
Já a Mocidade Independente de Padre Miguel "equilibrou luxo e cores tropicais" e apresentou comoenredo o Império Português em que a figura principal é D. Sebastião, o rei aventureiro e sonhador que o Povo cognominou de O Desejado já que desapareceu em batalha no norte de África, Alcácer Quibir, sem ter deixado descendência. Como é sabido, Portugal perdeu a independência tendo vivido sessenta longos anos sob o jugo castelhano... até 1640. Saliente-se que com a perda da liberdade lusitana, também desapareceu o domínio sobre as colónias de então o que foi assaz marcante e significato na sua formação. No Brasil, por exemplo, Recife ficou sob bandeira da Holanda e aqui se explica a descendência holandesa de tantos pernambucanos e o próprio Tratado de Tordesilhas que limitava a fronteira do país até ao meridiano das 370 léguas (a meio do Estado do Pará) deixou de ter efeito prático (afinal o Brasil estava também sob domínio espanhol) permitindo que a fronteira brasileira se fosse alargando cada vez mais para oeste.

Sobre os desfiles das Escolas não nos vamos pronunciar e em abono da verdade diga-se que nem assistimos ao da primeira das escolas. O desfile da Mocidade foi interessante e bonito, claro, mas também nos revelou factos históricos importantes. Para além das anteriores deixamos mais algumas ligações que podem facilitar a vida aos interessados, nomeadamente ligações às fotos e aos sambas-enredo de cada uma das Escolas.

SÃO CLEMENTE

MOCIDADE INDEPENDENTE

Fotos Uol

Fotos G1

Fotos Uol

Fotos G1
letra SAMBA ouvir letra SAMBA ouvir

Em remate diga-se que a Escola de São Clemente foi rebaixada, foi a última classificada, muito por culpa  própria e dando até a ideia de que a loucura do enredo que elaboraram tomou conta da mente dos responsáveis da escola. O atrevimento depassista em desfilar na avenida com reduzidíssimos 4 centímetros como tapa-sexo, que para os juízes afinal nada teria tapado, valeu meio ponto de penalização que teria sido determinante na descida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:59




calendário

Fevereiro 2008

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829