Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Chelas

por neves, aj, em 10.02.08

Este é o Chelas... quer dizer esta é a locomotiva que puxava o Chelas e que aqui está estacionada na Estação de Caminhos de Ferro de Santa Comba Dão.

CLICAR

A foto tem uns bons pares de anos, três dezenas e tal, e se consta por aqui no Voz 2 é porque pretende dar seguimento a entrada que vamos fazer na Casa-Mãe onde colocaremos foto bem antiga da Estação que, sublinhe-se, está localizada a uns dois quilómetros do centro da cidade em zona que antigamente apelidávamos de Santa Comba Dão-Gare.
Primeira exigência desta entrada: não nos perguntem porque é que chamávamos Chelas ao comboio (trem) que circulava no Ramal do Dão entre a então Vila de Santa Comba Dão e a cidade de Viseu capital de distrito com o mesmo nome. Esclareça-se que o Ramal do Dão, em via estreita, fazia a ligação da Linha da Beira Alta (linha internacional em via larga) à cidade de Viriato e está hoje desactivado à espera de ser transformado em "ecovia", não devendo também os estimados leitores perguntarem-nos exactamente do que se trata, subentendendo-se no entanto que será uma via ecológica portanto livre dos gases tóxicos que escapam dos motores de explosão. Provavelmente essa ecovia permitirá apenas passeios a pé e de bicicleta ou quem sabe também permitirá acesso a veículos de tracção animal e/ou movidos a energias não poluentes. Esperemos que mais notícias surjam por aí. Por curiosidade, registe-se que foi no longínquo ano de 1890 (25 de Novembro) que a Linha do Dão abriu as suas portas à "exploração pública" como nos informa o sítio da CP (Companhia de Ferros Portugueses).
Segunda exigência desta entrada: não nos peçam para justificar que estamos perante o Chelas e na Estação de Santa Comba Dão já que não encontramos o sítio que hospedava a foto. Têm que acreditar em nós, mas um observador atento (também crente) verá que naquela moradia à direita (pintada de bege e que ainda deve existir) funcionava o serviço de "Via e Obras" onde trabalhava, lembramo-nos bem, o sr. César Santos, pai de um dos professores mais marcantes que tivemos na nossa vida escolar, o Dr. Rui Santos.
Sobre a foto podemos acrescentar que ela foi captada em 1972 e a legenda informava ainda que estávamos perante uma locomotiva a vapor inglesa. Por curiosidade deveras interessante registe-se que pelo Brasil a locomotiva a vapor é pomposamente e bem a propósito conhecida como Maria Fumaça. Pode o estimado leitor observar (e recordar) duas dessas Marias Fumaças em fotos não tão distantes no tempo quanto se posso julgar: esta aqui no Pinhão (Douro, Portugal) e esta aqui na Linha do Tua, que é como um ramal da Linha do Douro que liga Foz Tua a Mirandela. A propósito, porque vale a pena, convidamos o leitor a fazer uma viagem à Linha do Tua, não se esquecendo de observar as (maravilhosas) fotografias que retratam paisagens únicas ao mesmo tempo belas, belíssimas e aterradoras... verdade, palavra de viajante que fez mais do que uma vez o percurso Tua-Caldas de S. Lourenço (onde brota água sulfurosa que até nos ajudou a cuidar de mazela dérmica) embora já viajando em "modernas automotoras" a diesel.

E com o entusiasmo mais uma vez nos desviámos do alvo. Era para focarmos o Chelas e a Estação de Caminhos de Ferro da nossa cidade, e provavelmente a Linha da Beira Alta, mas afinal ainda nem tínhamos acabado de atravessar o Dão e quando demos conta já estávamos a mergulhar, lá em cima bem a norte, nas águas do Tua. Bom, mas o Chelas está lá em cima bem exposto e melhor ainda pode ser observado após um clique na foto e quanto à Estação ela pode ser admirada (e comparada) em duas versões bem distintas: uma antiga em foto que nos mostra as composições ferroviárias de tempos idos e que faz a continuação da saga uma por dia que tem como objectivo a construção do álbum SANTA COMBA DÃO - FOTOS ANTIGASe uma outra bem moderna, em vídeo, que nos mostra comboio ou trem já electrificado a fazer paragem ou parada na Estação.
Quanto à Linha da Beira ficará para outra altura ou, quem sabe, talvez seja abordada naquela entrada de "uma por dia" para onde vamos partir de imediato.

Post-scriptum - miracle, passados uns dias encontrámos apágina desaparecida.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:38




calendário

Fevereiro 2008

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829