Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O que são crianças autistas?

por neves, aj, em 11.06.08

quem é Lara Guina

A opinião de LARA GUINA

O que são crianças autistas?

PhotobucketAs crianças autistas são crianças que não se relacionam com outras pessoas, a não ser com os familiares mais próximos, e que não respondem aos estímulos que provêm do ambiente. Existe uma desordem na personalidade destas crianças desde muito cedo, que as desorganiza interiormente e que altera a relação com o mundo que as rodeia. Esta perturbação surge, normalmente no primeiro ano de vida e sempre antes dos três anos de idade. A causa do autismo ainda não está bem estudada, havendo alguns autores que defendem uma causa genética.
O “João” é um menino, que começou a ser acompanhado psicologicamente quando tinha 3 anos e 5 meses de idade. O “João” apenas comia alimentos triturados e demorava muito tempo a comer, não falava, tinha crises de gritos quando o tiravam de casa, durante as consultas só a mãe o compreendia, porque ele usava uma “linguagem de gatafunhos”. O controlo das fezes e da urina nunca foi adquirido, não mostrava afecto por ninguém, nem se sentia ansioso na presença de estranhos, não brincava com os seus pares nem sozinho.
Esta pequena descrição do caso clínico do “João” permite-nos entender melhor esta perturbação e a forma como os pais destas crianças sofrem. Estes sintomas geralmente persistem ao longo de toda a vida.
Para se conseguir lidar com estas crianças é preciso paciência e uma certa calma, pois eles nem sempre compreendem o que nós dizemos. Os pais devem usar uma linguagem acessível, palavras curtas e até podem recorrer a imagens. E, esperarem que a criança reaja ao que lhes foi dito. Também é importante que se considerem outras formas de comunicação, tais como a escrita ou gestos.
Quanto às relações interpessoais que estas crianças não estabelecem, é necessário que os pais aceitem que elas precisam de algum tempo a sós; que tentem expressar os seus sentimentos (quando se sentem felizes devem dizê-lo); que as incentivem a interagir com outras pessoas; e que as ajudem a compreender os seus próprios sentimentos, explicando-os, através da oferta do brinquedo preferido.
Estas crianças poderão parecer comportar-se de forma inadequada, por exemplo podem gostar do som do vidro quando este se parte, mas não percebem que não é seguro nem aceitável partir vidros em público; têm risos e gargalhadas inadequadas; resiste a métodos normais de ensino; ausência de medos e perigos reais. Assim, cabe aos pais e aos educadores tentarem transformar os comportamentos inadequados em comportamentos socialmente aceites.
Esta patologia infantil é acompanhada por perturbações das relações afectivas com o meio, o que dificulta um pouco o tratamento destas crianças. Os tratamentos acarretam uma despesa muito grande para os pais, sobrecarregando-os quando eles já estão demasiado sobrecarregados com o problema do filho. Também se torna importante o acompanhamento dos pais, para que estes possam ajudar de uma melhor forma estas crianças.
Torna-se fulcral realçar que não existe ligação causal entre atitudes e acções dos pais e o aparecimento das perturbações do espectro autista. As pessoas com autismo podem nascer em qualquer país ou cultura e o autismo é independente da raça, da classe social ou da educação parental.

Lara Guina
Psicóloga Clínica

http://laraguina-psicologa.blogspot.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:26




calendário

Junho 2008

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930