Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Por bravura e compromisso

por neves, aj, em 24.02.10

Ele é Treo, um Labrador de nove anos. Pertence aos quadros do exército inglês e foi condecorado pelos seus feitos como farejador de explosivos.

Photobucket
clicar para ampliar

Atente-se que Treo tem aqui honras no Voz não propriamente pelo trabalho que desempenha [um humano não teria essas honrarias] antes sim porque é cão e de porte espectacular.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:08

Cuidado com elas

por neves, aj, em 24.02.10

Photobucket
clicar para ampliar

Até pode parecer que o Voz é defensor oficial dos leões, tantas as vezes que ultimamente a espécie vem aqui às páginas, mas entendei que é apenas a oportunidade que os faz vir aqui. A ocasião faz o ladrão, diz o Povo, neste caso o leão, mas curiosamente desta vez, a leoa. Três leoas. Três pequenas leoas ainda nem desmamadas, certamente, mas mais bravas que muitos do sexo masculino e bem mais crescidos [para não nos chamarem irónicos ou maldizentes não chegamos ao ponto de dizer que mais ferozes que aqueles velhos leões que andam por aí a arrastar-se pelas arenas de Portugal, não propriamente as circulares dos touros, e sim aquelas mais sobre sobre o comprido, rectangulares... vós sabeis de quem estamos a falar].
Façam favor de dar um clique ma foto para ver as três manas em tamanho ampliado e depois dêem aqui um clique para aceder a vídeo onde está bem vincado o verdadeiro instinto leonino. Quanto a ilações que se possam tirar, elas são vossas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:31

Madeira, "o dia depois"

por neves, aj, em 24.02.10

Photobucket
clicar para ampliar - álbum relacionado

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:55

Esquina da vigarice

por neves, aj, em 24.02.10

O estabelecimento que vemos na imagem dá pelo nome genérico de "casa lotérica" ou seja aquela que vende loterias [em Portugal lotarias].
Nele também se pode pagar a conta da luz ou do telefone e até "carregar" com créditos o cartão que nos permite viajar nos transportes públicos da cidade [ônibus e metrô], o denominado Bilhete Único.
É essencialmente pela necessidade deste último serviço que utilizo as lotéricas, muito em especial uma situada aqui na zona, mas de vez em quando lá jogo uma ou duas apostas, um ou dois conjuntos de seis números [dezenas] no concurso da Mega Sena, afinal o Loto se encarado na perspectiva lusitana. Às vezes o "bolo" é grande: para hoje, Quarta-feira, a estimativa [já que há acumulado do concurso de Sábado] é de a sena pagar 61 milhões de reais [aí uns 25 milhões de euros]. Como em Portugal, também por aqui as casas de jogo têm por costume fazer umas "chaves em sociedade" de modo a que por um custo individual não muito elevado vários apostadores joguem forte e tenham uma maior chance de acerto. Se acontecer acerto, o "bolo" é então dividido pelo número de sócios apostadores. É o chamado bolão.

Photobucket
clicar para ampliar e ler notícia

Entenda-se que a entidade organizadora dos concursos, em Portugal a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e por aqui a Caixa Económica Federal [semelhante à CGD lusitana], não tem nada a ver com estas sociedades de ocasião já o que para ela conta é unicamente o boletim que foi registado e, verdade seja dita, se formos esmiuçar a Lei talvez encontremos algo de ilegal na realização destes sistemas de apostas. Mas, a verdade verdadinha é que em todo o lado se faz e se joga assim, e eu próprio fui um dos instigadores destes sistemas de apostas na agência de jogo de meu irmão.
Bom, depois de tão longa introdução já os caros amigos e amigas desconfiam do que me levou a fazer esta entrada: é que o proprietário da Esquina da Sorte é afinal um grande vigarista que recebia o dinheiro dos sócios apostadores e não registava os bolões. Diz o Povo na sua sabedoria que o cântaro tanta vez vai à fonte que um dia deixa lá a asa, pois para azar dos 40 apostadores de um determinado bolão a sorte bafejou-lhes, contudo jamais poderão receber os cinquenta e tal milhões [concurso de Sábado passado] já que o proprietário vigarista não fez o registo do bilhete.
O mal de uns é, muitas vezes, o bem de outros, e com esta já tenho base para manter um rotundo não quando a menina insistente de sorriso comercial, há quem lhe chame sorriso simpático, me bombardear com a mais chata das perguntas que me faz quando eu entro na lotérica: "não quer um bolão da Mega Sena? Paga 50 milhões. Custa só 10 reais."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:39

Solidariedade para com o Pedro

por neves, aj, em 24.02.10

PhotobucketEntrada feita por nossa alta recreação, numa manhã já quente e desinspiradora. Ela não é consequência desses useiros pedidos de divulgação em corrente de mails já que a informação chegou ao nosso conhecimento através dos canais normais da Imprensa online, nomeadamente pelo viseumais.com. Portanto será informação confiável. Importante de referir que não conhecemos o Pedro, um jovem de 5 anos que necessita de ajuda para tentar minimizar as deficiências com que veio ao mundo: nasceu cego e ainda não consegue andar nem falar. Também não conhecemos os pais nem ninguém da sua família. Cremos que não, corrigimos. Sabemos que é natural do município de Tarouca, distrito de Viseu, e talvez seja o facto de por lá termos vivido um ano [quando demos aulas na bela cidade de Lamego] que nos leva aqui a fazer a exposição dos problemas do Pedro e a fazer a divulgação de uma campanha de solidariedade que tem por objectivo levar o jovem Pedro a usufruir de uma melhor qualidade de vida. Lemos que se em relação à cegueira há uma remota hipótese de cura, contudo já no que toca à locomoção, "há fortes indícios, de que possa a vir caminhar normalmente, após uma intervenção cirúrgica, na zona das ancas". Só que essa intervenção terá que ser realizada, forçosamente, no México e o Pedro não tem dinheiro. Por ser filho de um elemento dos Bombeiros Voluntários de Tarouca, aquela Associação Humanitária tomou a seu cargo uma série de iniciativas de modo a angariar dinheiro para custear as despesas entre elas um passeio-todo-o-terreno no dia 14 de Março. No entanto para que as pessoas de outras zonas do país possam auxiliar o Pedro foi feita a abertura de uma conta solidária numa dependência do BPI [Banco Português de Investimento] na vizinha cidade de Lamego que tem o número 8-4414901 e o NIB 0010 0000 44149010001 09. Claro que a Associação de Bombeiros [tel. +351254679278] também está habilitada a receber donativos.
Outros locais onde encontrámos informação sobre o Caso do Pedro de Tarouca: jornalDiário de Viseu, blogueErecto, firme e vigilante e portal taroucahoje.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:48




calendário

Fevereiro 2010

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28