Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dicionário de Vulgarismos

por neves, aj, em 22.09.10

[a modernidade chega à Escola Primária]

Estimado leitor lusitano: se, eventualmente, o seu filho de 7-8 anos aparecer em casa com um certo palavreado de "vulgarismos", palavras obscenas, afinal asneirolas, tipo "c..." [órgão sexual masculino], "c..." [órgão sexual feminino] e "f..." [acto sexual] pense duas vezes antes de o punir [e olhe que não nos referimos propriamente ao cuidado a ter nas duas lostras que lhe pudesse mandar nas fuças e que o levariam a meter-se, a si leitor, "em palpos de aranha" com a Justiça]. Deve pensar duas vezes [ou três] porque  na verdade pode estar perante um futuro Einstein, o seu filho pode estar a revelar-se, afinal, um aluno exemplar quesabe adequar a uma nova situação os conteúdos adquiridos na Escola.

 Photobucket

É, meus caros, já lá vai o tempo em que nós pequenos alunos ainda de calções visitávamos às escondidas [tão às escondidas que uma vez na pressa rasgámos parcialmente a folha do c... como o testemunha a amarelecida fita adesiva, curiosamente por cá chamada de durex e por nós, lusos, de fita-cola] as páginas daquela edição de dicionários mais grossos de capa vermelha da Porto Editora onde constavam alguns dos palavrões mais usados pela voz popular [e que por acaso nós ouvíamos amiúde, porque naquele tempo não vivíamos numa redoma isolados da rua, da vida do dia-a-dia], agora parece que qualquer puto [atenção que no Brasil temoutro significado] tem à mão [não de semear, mas de catar] um dicionariozito académico [baratucho... 5,5 euros] onde constam os mais inapropriados termos para uma criança em crescimento vocabular que talvez até façam um falastrão asneirento corar de vergonha e indignação porque até ele considera que uma criança tem mais que tempo para saber essas coisas e que não é necessário dar-lhe livro para ela os aprender.
Na notícia publicada hoje no DN, um dos pontos interessantes é que ficámos a saber que os palavrões já vêm redigidos segundo o acordo ortográfico, não sabendo nós se constam os vulgarismos usados por cá pelo Brasil, que, atente-se, não são propriamente os mesmos havendo algumas discrepâncias, mas também é interessante, aliás é o "mais interessante", saber que o dito dicionário de vulgarismos é recomendado  pela Escola, pelos professores afinal e não pela ministra nem pelo governo o que é mesmo uma chatice já que assim o Sócrates livra-se de umas vergastadas e lá se vai a onda de protestos e quiçá umas idas em manifestação à capital, porque isto é coisa grave também pese embora não se trate do estatuto da carreira docente e sim relacionada com o estatuto da decência que ao que consta não dá progressão na carreira.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:41




calendário

Setembro 2010

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930