Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Zé do Nada

por neves, aj, em 14.04.08

Zé do Nada é mais um entre esses milhares de jovens acabadinhos de sair da escola e lançados no mercado. De certificado na mão, cheio de ideias e com uma ânsia enorme de trabalhar não olhou para trás quando a senhora de fala agradável lhe ofereceu colocação na Quinta do Algo que, por sinal, até se situava a dois passos de sua casa. Feliz da vida fez projectos e nem exigiu mais nada para além das regalias que a doce voz da patroa lhe oferecia: ajuda no transporte e telefone.  Começou a trabalhar com afinco e tudo parecia correr bem, mas ao fim de oito dias sofreu o primeiro revés aquando da assinatura do Contrato de Trabalho como a Lei estipula: certas prerrogativas que lhe tinham sido oferecidas oralmente não constavam.
Por necessidade e com esperança de mais altos voos, tanto que a patroa era também proprietária da consagrada Quinta do Tudo, não levou essas pequenas omissões muito a peito e confiando cegamente na doce e sorridente senhora continuou a entregar-se de "alma e coração" ao seu trabalho... é que apesar de jovem não queria ser acusado de falta de profissionalismo, de jeito nenhum.
Entretanto, a vida laboral de Zé do Nada começou a tornar-se um inferno e ele começou a reparar que dia após dia lhe retiravam o tapete que pisava. Actualmente desempregado e desanimado com a postura das pessoas Zé do Nada desabafou em jeito de aviso e denúncia com uma amiga de Voz do Seven também ela natural da ditosa cidade de Santa Comba Dão, a jornalista Cristina Correia Pinto.
Tomemos então conhecimento mais profundo da "história do Zé do Nada" com o escrito Zé do Nada finalmente aprendeu que é tudo que a Cristina nos oferece no seu Sábios Mestres.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:02




calendário

Abril 2008

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930