Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Crianças com medos – como as ajudar…

por neves, aj, em 20.05.08

quem é Lara Guina

A opinião de LARA GUINA

Crianças com medos – como as ajudar…


PhotobucketÉ natural que as crianças tenham alguns medos. Estes são completamente normais e são fruto do próprio desenvolvimento da criança.
Ao longo do seu crescimento, a criança é todos os dias confrontada com novos desafios. Os medos acabam por andar a par e passo com a sua própria aprendizagem diária e, como o que é desconhecido assusta, é natural que a criança se sinta ameaçada, mas depois de ultrapassado transforma-se em nova aprendizagem e pode passar-se à fase seguinte.
O que é importante é que a criança aprenda a ultrapassar os seus medos, primeiro conhecendo-os e tomando consciência deles e, de seguida arranjando estratégias para os dominar. Muitos dos medos que as crianças têm estão relacionados com questões da dor física: medo de levar “picas”, de ir ao médico, de ser mordida por um cão. Mas podem também assumir outras formas, como por exemplo: medo do escuro, de monstros, de papões, bruxas, do lobo mau.
É importante que os pais tenham um papel activo na ajuda à superação dos medos dos seus filhos. Para isso será preponderante que os pais ouçam atentamente e respeitem aquilo que a criança tem para lhes dizer. Aquilo que para os adultos poderá ser insignificante, para a criança tem uma dimensão completamente diferente, pois para ela, o medo faz todo o sentido. Deixar que a criança exprima os seus medos e, sinta que tem sempre espaço para o fazer, vai ajudá-la a enfrentá-los melhor, a viver com eles, a controlá-los e a libertar-se deles. Assim, a criança descobre formas de ultrapassar os seus medos, construindo as suas próprias estratégias e defesas.
O que também poderá ajudar a criança é uma breve explicação de que é normal ter medo e, dizer-lhe que, assim como, nos sentimos zangados, satisfeitos, tristes, também podemos ter medo. Os pais também poderão falar-lhe dos seus próprios medos quando tinham a idade dela e da forma como os ultrapassou e, explicarem-lhe que os monstros ou papões de que ela fala não existem, mas que, tal como ela, há outras pessoas que também pensam nisso.
Ajudar a criança a compreender as razões que a levam a ter medo facilita a superá-lo. Talvez perguntar-lhe os porquês dela ter medo e pô-la a falar sobre o que ela própria pensa que origina os seus medos, vai levar-lhe a pensar nesses medos e que a tomar consciência deles e das razões que estão por detrás, ajudando-a a arranjar soluções. Pensando no que poderá estar na origem dos seus medos, poderá mesmo levá-la a chegar à conclusão que não existe razão para os ter e, quando isto acontecer é muito importante que a criança seja valorizada, de forma a que se sinta satisfeita e orgulhosa de si própria.
 

Lara Guina
Psicóloga Clínica

http://laraguina-psicologa.blogspot.com/

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:26


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.




calendário

Maio 2008

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031