Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Terror, medo, pavor, pânico...

por neves, aj, em 25.08.07
CLICAR
Foi para isto?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:41

Rock in Rio

por neves, aj, em 25.08.07

Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketO Rock in Riorealizou-se pela primeira vez no ano de 1985 na cidade do Rio de Janeiro. Apósmais duas edições na cidade maravilhosa (1991 e 2001) o festival mudou-se paraLisboa no ano de 2004 e em 2006 repetiu-se na capital portuguesa. Em 2008 terá lugar em Lisboa e Madrid. A "abertura oficial"  desta VIEdição foi realizada nos finais de Maio passado com uma soberba descarga defogo-de-artifício na Ponte 25 de Abril sobre o Rio Tejo, em Lisboa.
Recebemosalgumas fotos do espectáculo e com uma ou outra que já tínhamos por aí construímosPowerPoint, apresentador de slides, a que juntámos a voz de Ney Matogrosso com Homem com H. Apesar de o produto final não ser o esperado, convidamos-vos a
passar por lá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:54

Cheirinho a alecrim

por neves, aj, em 24.08.07

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketAosantigos navegadores amedrontados dizia-lhes Pompeu, general romano: navegar épreciso; viver não é preciso (navigare necesse, vivere non est necesse)máxima que Pessoaexplorou em poema próprio modelado à sua maneira de pensar e à sua forma devida: viver não é necessário; o que é necessário é criar.
Nós por cá,numa espécie de rapsódia bem mais simples, diríamos que viver é preciso, jáque necessário é criar... para navegar, navegar quão cada vez maisnecessário e preciso.
Dissertaçõesà parte, naveguemos, e se não nas barcas de Pompeu nem nas caravelasquinhentistas que seja na crista das exóticas ondas do século XXI, porque navegar é necessário e preciso, pá, sempre em busca da semente com
cheirinhoa alecrim.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:12

Benzadeus

por neves, aj, em 24.08.07

Sempre meincomodou o facto de as pessoas atribuírem  aperfeição sempre e apenas a "um deus" ficando o errado ou o imperfeito justificado pelo "pecado"ou até pelo "diabo".
É...
Quando aorgulhosa mamãe acabada de parir um ser são e escorreito sai pela primeira vezcom a criazinha, logo as vozes sábias do Povo se erguem e saúdam orecém-chegado a este mundo de tanta incógnita: "ai que menina tão linda,benzadeus minha querida".
Se, nosentretantos, a Natureza resolver pregar uma "partidinha" (por vezesperfeitamente entendida pela ciência, mas de causas nem sempre claras oujustificáveis) deimediato é descartada a presença dum "deus" e atribuída ao homementendido aqui como pecador, a Adão e Eva, ou aos próprios pais (que antesnão se teriam portado lá muito bem) a infelicidade de terem sido contempladoscom o que essa vox populi tem a mania de chamar de "coitadinho" ou "fruto dopecado".

Podendo parecerque este último parágrafo foi escrito por inspiração medieval, a verdade éque nos baseámos em comentários bem actuais e saídos da boca de pessoas combastante responsabilidade principalmente por estarem ligadas a religiãofortemente enraizada na sociedade. É verdade que essa religião já não tem opeso que tinha, como na Idade Média, mas afirmar peremptoriamente, por exemplo,que o aborto ou a pílula do diaseguinte irá provocar problemas em hipotética futura gestação é já umdefesa inequívoca e antecipada de que a "obra de deus" é sempreperfeita, é como que um "lavar de mãos" e, pior, é um lançar deculpas e até a negação da própria ciência.

Como defensores da democracia e do pluralismo de opiniões, admitimos e compreendemos a fé,as ideias, mas apelamos que cada um se debruce aturadamente nesseconceito de PERFEIÇÃO. 
E para dar asas à nossa crónica socorremo-nos de umtexto em que um pai nãoesconde a sua crença ao defender de que realmente somos "filhos de umdeus", mas que começa por perguntar:
CLICAROnde está a perfeição no meu filho Pedro, se tudo o que DEUS faz é feito com perfeição?Meu filho não pode entender as coisas...  não se pode lembrar de factos e números...então, onde está a perfeição de Deus?
Parecendo àprimeira vista tratar-se de texto acirradamente crítico à "acção deDeus", esta passa completamente para segundo plano e a
históriasublime contada por aquele pai de criança especial alerta-nos, isso sim, paraa necessidade de olharmos o mundo de forma diferente, de banirmos adiscriminação e de passarmos a ser mais solidários... aí, sim, talvez cadaum então alcance a tão apregoada PERFEIÇÃO DE DEUS...

Solidariamenteum benzo(a)deus para cada um de vós.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:15

Envelhecer

por neves, aj, em 23.08.07

PODE SER CHATO,MAS É A ÚNICA MANEIRA DE SE VIVER MAIS ALGUNS ANOS

Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketA expressãonão é nossa antes faz parte de um PowerPoint, apresentação em slide, que onosso amigo João nos enviou. Acompanhada por trilha sonora animadíssima a mensagem deve ser calmamente apreciada e degustada, não só pelos que estãomais pertinho, mas também pelos mais novos já que no mundo conturbado em quehoje vivemos alcançar a velhice é cada vez mais um privilégio.
A concepçãode velhice foi-se alterando ao longo dos tempos muito fruto da mudança dementalidades e da forma de encarar o final da vida e actualmente um velho éidoso e a velhice é terceira idade. Deixaram de existir asilos para se criaremlares de terceira idade ou de repouso, o velho passou a ser entradote nos anos eo orgulho de ter um velhote na família cresceu grandemente naconsideração dos maisnovos. Por si, a Medicina evoluiu, criou até especialidade própria (geriatria)e a esperança de vida, com o apoio inequívoco de instituições e governos,foi aumentando... o que, paradoxalmente, levantou o problema de ocupação dostempos livres dos nossos velhotes e velhotas, claro está. Muito se tem feito,criaram-se inclusive os direitos do idoso e hoje um idoso participa emvariadíssimas actividades, físicas e mentais, próprias para a sua condição.O lazer tem sido uma das prioridades de muitos governantes principalmente anível autárquico e é ver os nossos menos jovens a participar em grupos deteatro, de dança, em carnavais ou passeios a locais que jamais imaginaram ver.


No entanto,muitos continuam fiéis às suas convicções e àtradição e preferem a sombra da copa de um frondosa árvore ou a mesa de umcafé ou bar para botar a conversa em dia ou disputar uma animadíssima partidade Jogo da Sueca ou de Jogo das Damas (vá lá entender-se a preferência outendência desta idade por jogos de nome feminino) e assim está explicada arazão de termos ornamentado esta entrada com a imagem de um tabuleiro em xadrezpróprio para o dito jogo das madames, mas também para um outro jogo, océlebre Xadrez, quiçá mais intelectualizado com movimentos mais elaboradospor peças distintas que muitos artífices transformam em verdadeiras peçasde arte sendo as mais comuns, talvez, as peças de xadrez artisticamentetrabalhadas em marfim ou cristal... outras haverá, com algumasdelas, porém, umpouco descabidas de serem expostas agora aqui nesta entrada.

Apologistas quesomos da escrita encadeada, já terá dado para perceber, em que o ponto finaldo parágrafo anterior dá seguimento à ideia do seguinte, está mesmo a ver-seque o nosso remate final acaba em jogo.
Em jogo de xadreze de damas.
O primeiro jogoque vos apresentamos, o de Xadrez, é bem triste, demasiado, embora também nosmostre cenas bem divertidas e que, afinal, a imaginação fértil pode jamaismorrer. Muito bem elaborado, encaixaprimorosamente no título que demos à entrada: envelhecer... mas
envelhecer assim,a sós, como neste vídeo é que não queremos, não o desejamos para ninguém epublicamos para apelar à vossa sensibilização.
Já o segundo,o das Damas, é paraser jogado. Odesafiante é um computador e o internauta, após identificação, podeescolher pretas ou brancas e o grau de dificuldade tendo em conta o seu nívelde conhecimentos. Claro que este nosso parágrafo não é mais que um desafio dirigido inteiramente ao nosso amigo João por grande adepto deste jogo,mas fica desde já o aviso caro João que durante a partida o computadorvai-te informando quem está em vantagem e a meio do desafio ele pode dizer-tese vais vencer ou se já perdeste. Verdade. É que foi descoberta, ao fim de 20 anos deestudo, a solução do Jogo das Damas. Quer dizer existe um jogada perfeita paratodas as cerca de 5 x 100 000 000 000 000 000 000 jogadas possíveis. O
Chinook,o sabichão das damas, sabe qual é ela.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:21

Cinco anos de Brasil

por neves, aj, em 19.08.07

... de S. Paulomelhor dizendo já que imensidão tão vasta é impossível de conhecer em 5anos e por outro lado não viemos propriamente para participar na Volta ao Brasil.
Viemos. Viemose pronto.


Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketComo vos contein' A Viagem aaventura iniciou-se na madrugada do dia 19 de Agosto de2002 pouco tempo depois de as trombetas dos Anjos terem cessado a sua actuaçãonas Festas da Cidade de Santa Comba e faltaria pouco para o meio-dia quando oavião começou a rolar pela pista, suave e lentamente. Ao som de LisboaMeninae Moça o Airbus acelerou, ergueu o focinho e mergulhou nas nuvens para umalonga travessia atlântica de 10 horas ou quase. Seriam cinco e meia da tarde,afinal já noite, do Horário de Brasília quandoas rodas do trem de aterragem ou de pouso tocaram a pista de Cumbica, oAeroporto Internacional de S. Paulo situado no município vizinho de Guarulhos.


Passados cincoanos cá estamos nesta metrópole de tamanha vastidão e bulício, vivendo umdia de cada vez sem pressa nem pressões, talvez mais um paradoxo que nosenvolve. Pela escrita se pode ir vendo que não estamos descontentes e se nãogritamos contentamento é porque seria mui ofensivo para com a mãe-terra paraquem, registe-se, aprendemos a olhar de outro modo, sentindo por ela, comcarinho e dedicação livres de bairrismos bacocos, algo quetalvez nunca tivéssemos sentido e a desejar intensamente que ela progridaindependentemente de quem a governe.
Ao contráriodo que possam pensar os de argumento fácil, de discussão de mesa de café,esse sentimento não é nostálgico (profunda saudade) nem sequer saudade jáque tais formas de sentimento implicariam dor e tristeza, talvez atémelancolia... e, por enquanto, tais formas andam arredias da nossa mente.
Nãodará para notar?
É certo que por vezes sentimos falta de algo como deuma sardinha em molho de escabeche ou de uma hora retemperante no Miradouro doOuteirinho, talvez também a falta do movimento citadino no Balcão ou umsimples papo com um amigo, mas nada que a arte e o engenho não consigamdriblar. É também certo e sabido que é muito mais difícil de driblar essa faltade algo se este algo se refere às pessoas que amamos, mas sãocontingências da vida que temos de aprender a superar e que podem ser bemamenizadas através do telefone e da internet, esta maravilhosa rede das redesque ainda há poucas horas nos permitiu falar directamente e intensamentecom o formoso fruto brotado da semente plantada há uma vintena de anos.  
Em final decomemoração (sim, cá em casa assinalámos o dia) confessamos, no entanto, quegostaríamos de neste preciso momento voar, voar num repente, comer a sardinha etodos os algos, respirar a paisagem avistada do Outeirinho, apertar osossos a meia-dúzia de amigos, dar uma beijoca bem especial à menina-mulher evir, voltar... por aqui temos também quem nos ama.

Aquele abraço!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:26

Mulher ao volante

por neves, aj, em 19.08.07

(juramos quesó queríamos ensinar a trocar umpneu, mas a crónica mudouinesperadamente de rumo)

Perseguidoraimplacável da motorista portuguesa, a tese de que mulher ao volante é perigoconstante tem igualmente por aqui acérrimos defensores, o que nos congratulasubstancialmente já que vem provar de maneira inequívoca que no mundo daguerra dos sexos o machismo não é privilégio dos homens portugueses.
HajaDeus.
Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketDe início,quando começou a conquistar o seu espaço na estrada, a mulher (sabedorade tal ditote vexatório) tratou então de aprimorar-se e de fazer da sua formade conduzir (por aqui diremos dirigir) uma ode à perfeição. Contudo, com oandar dos tempos e após a conquista desse espaço transformou-se numa igualentre condutores e pode-se considerar que agora está no mesmo nível... igualnível também de asneiras, note-se, e tão perigosa e descuidada quanto osmachos já que os excessos de velocidade, as ultrapassagens imprevidentes e asconversas no telefone móvel durante a condução de um automóvel deixaram deser privilégio de um único sexo.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Lamentavelmente a mulher que conduz ou dirigetornou-se insensível também, como os machos. Pelo menos nas grandes cidades,parece-nos a nós... nesta em que residimos de certeza absoluta e com clareza econhecimento o afirmamos. Desengane-se todo e qualquer peão/pedestre que esperaamabilidade (afinal dever) de um/uma automobilista para atravessar rua ouestrada movimentada mesmo que esteja pisando em passadeira de peões/faixa depedestres só que livre de sinais vermelhos. Como não há semáforo (por aquitambém farol) avança-se, claro, que já é hora de estar em casa, no encontro,no trabalho, na escola do filho. Mesmo que o candidato à travessia seja casalem que um deles erga uma fina bengala, o resultado é o mesmo: ninguém páranem abranda sequer, homens e mulheres insensíveis transtornados pela azáfama epelo poder de possuir entre mãos uma máquina poderosa carregada de cavalos (talveztambém de burros) afinal uma arma, arma tão mortífera como as demais só que aqui o gatilho é naforma de pedais.
Bom,deixemo-nos de exageros... sabemos perfeitamente que há sempre aquela almacaridosa que abranda
oupára e está-se mesmo a ver que sem elas, sem esses homens e mulheresprevidentes e sensatos, esta crónica não seria possível.
E o desabafolá se foi...

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Em verdade vosdizemos caros amigos e amigas que o tema a explorar não era este. Vejam lá que onosso desejo primeiro até era dar uma forcinha à mulher/motorista, dar-lhe meios deinformação para não estar dependente do macho em situação de avaria aolongo da estrada e ao mesmo tempo fornecer-lhe um sítio intitulado Penélope,charme ao volante (ligação no banner) que achámos interessante e queaté pode dar uma ajudinha, a homens e mulheres, para um melhor desempenho naestrada.

A escritalevou-nos para outros caminhos, mas cremos que não maus de todo. De qualquer formadesculpem lá qualquer coisinha, sim meninas?

Post scriptum -a propósito, sabíeis que Penélopeé sinónimo de fidelidade?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:22

Sem palavras (solidariedade)

por neves, aj, em 18.08.07

Nota de Voz doSeven - Este texto circula pela rede, anda de mail em mail... não lhemudámos sequer uma vírgula

Sem palavras... 


No Brooklyn, Nova Iorque, Chush é uma escola que se dedica ao ensino de crianças especiais. Algumascrianças ali permanecem  por toda a vida escolar, enquanto outras podem serencaminhadas para uma escola comum.
Num jantar de beneficiência de Chush, o pai de uma criança fez um discurso que nunca mais seria esquecido pelos que ali estavampresentes. Depois de elogiar a escola e seu dedicado pessoal, perguntou:
"Onde está a perfeição no meu filho Pedro, se tudo o que DEUS faz é feito com perfeição?Meu filho não pode entender as coisas como outras crianças entendem. Meu filho não se pode lembrar de factos e números como as outras crianças. Então, onde está a perfeição de Deus?"
Todos ficaram chocados com a pergunta e com o sofrimento daquele pai, mas ele continuou: 
"Acredito que quando Deus traz uma criança especial ao mundo, a perfeição que Ele busca está no modocomo as pessoas reagem diante desta criança."
Então ele contou a seguinte história sobre o seu filho Pedro: 
"Uma tarde, Pedro e eu caminhávamos pelo parque onde alguns meninos que o conheciam, estavam a jogar beisebol.Pedro perguntou-me: - Pai, você acha que eles me deixariam jogar? Eu sabia das limitações do meu filho e que a maioria dos meninosnão o queria na equipa. Mas entendi que se Pedro pudesse jogar com eles, isto lhe daria uma confortável sensação de participação.Aproximei-me de um dos meninos no campo e perguntei-lhe se Pedro poderia jogar.
O menino deu uma olhada ao redor, buscando a aprovação de seus companheiros da equipa e mesmo não conseguindo nenhuma aprovação, ele assumiu a responsabilidade e disse:
- Nós estamos perdendo por seis rodadas e o jogo está na oitava. 
Acho que ele pode entrar na nossa equipa e tentaremos colocá-lo para bater até à nona rodada.
Fiquei admirado quando Pedro abriu um grande sorriso ao ouvir a resposta do menino.
Pediram então que ele calçasse a luva e fosse para o campo jogar. No final da oitava rodada, a equipa de Pedro marcou alguns pontos, mas ainda estava perdendo por três. No final da nona rodada, a equipa de Pedro marcou novamente e agora com dois fora e as bases com potencial para a rodada decisiva, Pedro foi escalado para continuar. 
Uma questão, porém, veio à minha mente: a equipa deixaria Pedro, de facto, rebater nesta circunstância e deitar fora a possibilidade de ganhar o jogo?
Surpreendentemente, foi dado o bastão a Pedro. Todo o mundo sabia que isto seria quase impossível, porque ele nem mesmo sabia segurar obastão.
Porém, quando Pedro tomou posição, o lançador se moveu alguns passos para arremessar a bola de maneira que Pedro pudesse ao menos rebater. 
Foi feito o primeiro arremesso e Pedro balançou desajeitadamente e perdeu.
Um dos companheiros da equipa de Pedro foi até ele e juntos seguraram o bastão e encararam o lançador.
O lançador deu novamente alguns passos para lançar a bola suavemente para Pedro. 
Quando veio o lance, Pedro e o seu companheiro da equipa balançaram o bastão e juntos rebateram a lenta bola do lançador.
O lançador apanhou a suave bola e poderia tê-la lançado facilmente ao primeiro homem da base, Pedro estaria fora e isso teria terminadoo jogo.
Ao invés disso, o lançador pegou a bola e lançou-a numa curva, longa e alta para o campo, distante do alcance do primeiro homem da base.
Então todo o mundo começou a gritar: Pedro, corre para a primeira base, corre para a primeira. Nunca na sua vida ele tinha corrido... mas saiu disparado para a linha de base, com os olhos arregalados e assustado.
Até que ele alcançasse a primeira base, o jogador da direita teve a posse da bola. Ele poderia ter lançado a bola ao segundo homem da base, o que colocaria Pedro fora de jogo, pois ele ainda estava correndo. 
Mas o jogador entendeu quais eram as intenções do lançador, assim, lançou a bola alta e distante, acima da cabeça do terceiro homem da base.
Todo o mundo gritou: Corre para a segunda, corre para a segunda base. 
Pedro correu para a segunda base, enquanto os jogadores à frente dele circulavam deliberadamente para a base principal.
Quando Pedro alcançou a segunda base, a curta parada adversária colocou-o na direcção de terceira base e todos gritaram: Corre para a terceira. 
Ambas as equipas correram atrás dele gritando: Pedro, corre para a base principal.
Pedro correu para a base principal, pisou nela e todos os 18 meninos o ergueram nos ombros fazendo dele o herói, como se ele tivesse vencido o campeonato e ganho o jogo para a equipa dele." 
"Naquele dia," disse o pai, com lágrimas caindo sobre face, aqueles 18 meninos alcançaram a Perfeição de Deus. Eu nunca tinha visto um sorriso tão lindo no rosto do meu filho!" 

O facto é verdadeiro e ao mesmo tempo causa-nos tanta estranheza!
Entretanto, há pessoas que enviam mil piadas por e-mail e elas espalham-se como fogo, mas, quando enviamos mensagens sobre algo de bom, as pessoas pensam duas vezes antes de compartilhá-las. É preocupante que coisas grotescas, vulgares e obscenas cruzem livremente o ciberespaço, mas se você decidir passar adiante esta mensagem, não a enviará para muitos de sua lista de endereços, porque não está seguro quanto ao que eles acreditam, ou o que pensarão de você. 
Mostre que está acima de qualquer tipo de discriminação e envie esta linda e verdadeira história. Todos precisamos de parar alguns momentos para pensar naquilo que é realmente importante na vida. A amizade e a solidariedade nunca passarão de moda. 

Basta querermos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:03

Tanto mar

por neves, aj, em 17.08.07

TANTO MAR - Chico Buarque

1975 (primeira versão)

Sei que estás em festa, pá
Fico contente
E enquanto estou ausente
Guarda um cravo para mim

Eu queria estar na festa, pá
Com a tua gente
E colher pessoalmente
Uma flor do teu jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Lá faz primavera, pá
Cá estou doente
Manda urgentemente
Algum cheirinho de alecrim


Letra original, censurada...
Gravação apenas em Portugal, 1975

1978 (segunda versão)

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
E inda guardo, renitente
Um velho cravo para mim

Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Nalgum canto do jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei também quanto é preciso, pá
Navegar, navegar

Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim

versão censurada

OUVIR 

segunda versão

OUVIR

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:03

Entre de peito...

por neves, aj, em 17.08.07

... na luta contra o CANCRODA MAMA
(crónica paratodas as idades e para ambos os sexos, embora com acentuado recado aos homens)

Photo Sharing and Video Hosting at PhotobucketO Câncer deMama, como pelo Brasil é denominado, não é problema exclusivo do sexofeminino. Para além de poder atingir o homem já que ele também possuiglândula mamária, cada um de nós do sexo masculino tem, independentemente detoda e qualquer tendência sexual, pelo menos uma mulher atravessada na suavida: a mãe, a primeira mulher que conhecemos.
Com ela, com a mãe, temosdesde logo ainda célula zigótica umpré-conhecimento carregado de cumplicidade que se vai prolongar durante nove meses, em média, antesde ver a luz do dia. Depois, alguns felizardos têm ainda direito ao alimento que o seu organismo misterioso fabrica, o leite, leite fornecido por esta mesma mama de que estamos a falar e que com o avançardo calendário eventualmente pode adoecer de forma grave. Assim, com o que foiacabado de ser exposto já temos razões mais que suficientes para nosdebruçarmos, homens e mulheres, sobre o problema e de o olhar com frontalidade,encarando-o como forcado perante a cara do touro.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Outros homenshá que têm o privilégio máximo de ter mais uma mulher na sua vida: umafilha. Filha esta que cresce inocentemente rodeada de mimos e carinhos comomenina do papá que é, mas que a Natureza e as hormonas (hormónios) seencarregam, de uma ou outra forma, de lhe moldar o corpo, proporcionando-lheainda o amadurecimento dos seios, a mama, e a capacidade de produzir célulasreprodutoras, transformando-a assim numa mulher adulta capaz de gerar e de darcontinuidade à espécie. Contudo, é necessário levar em consideração que amenina mulher ainda  jovem que pode ser mãe e tornar o seu pai em avônão está livre de ver a sua mama adoecer. A menina mulher ainda jovem develevar em consideração que o problema não é exclusivo dos quarentase cinquentas e de jeito nenhum deve descurar os cuidados preventivos como o auto-exame,simples e pessoal, mas que é importante e pode ser crucial na detecçãoprecoce.

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Ainda outroshomens existem que acrescentam mais uma mulher na sua vida: a companheira.Companheira definida às vezes como esposa e muitas vezes por "minhamulher" e que é importante na estabilidade emocional de um homem e que temuma "estranha" capacidade de o compreender, melhor dizendo de oaturar. São motivos mais do que suficientes para a admiração e compreensão masculinas (que por vezes escapam) e, consequentemente, mais uma forte razão para que o homem atente aoproblema de que estamos aqui a tratar: o Cancro da Mama. 

Já com acrónica prestes a findar, seria no entanto injusto não ser focada aqui umaoutra mulher que haja, uma outra que embora não faça parte da vida actual deum homem merece respeito e admiração se do seu ventre nasceu fruto, menino oumenina, desse homem.

A mensagemestá entregue... repassem!

Photo Sharing and Video Hosting at Photobucket

Em complementodeixamos ligações que merecem a vossa atenção e dedicação. Atrevemo-nos adizer que sem a consulta aturada a esses documentos esta nossa missão deALERTAR PARA O CANCRO DA MAMA [CÂNCER DE MAMA] poderá ficar incompleta...agradecidos.

CANCRO DA MAMA – artigo no Voz com múltiplas ligações a sites importantes
ENTRE DE PEITO NESTA LUTA – PowerPoint com mensagem fecunda e esclarecedora
CANCRO DA MAMA – vídeo realizado por alunos de uma Escola portuguesa
UM GESTO DE AMOR – vídeo que nos revela de forma magistral e sublime o amor e uma forma de combater a exclusão e o preconceito

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:55




calendário

Agosto 2007

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031