Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Morumbi, meio-século de vida

por neves, aj, em 02.10.10

[homenagear o Estádio com os salpicos lusitanos a ele grudados]

Chamado pela voz popular de Estádio de Morumbi, porque se situa no Bairro do Morumbi em São Paulo, o Estádio Cícero Pompeu de Toledo foi oficialmente inaugurado a 2 de Outubro de 1960. Completam-se hoje 50 anos, portanto, e das muitas fotografias que temos à disposição escolhemos precisamente uma que remonta a esse dia e que, curiosamente, retrata o primeiro golo marcado neste recinto desportivo propriedade do São Paulo Futebol Clube.
Se vos dissermos que o desafio inaugural foi entre a equipa anfitriã, São Paulo FC, e um dos grandes de Portugal, temos a certeza absoluta que, apesar de a foto ser a preto e branco, não vos será difícil de descobrir de quem se trata. O resultado foi negativo para as hostes lusitanas, precisamente derrota por aquele golo solitário [golo de Peixinho aos 12 minutos de jogo], e da constituição das equipas que nos foi oferecida a ler a nossa memória ainda recorda nomes como Lino e Hilário, [Fernando] Mendes e Morato, Figueiredo, Géo e Seminário, claro que jogadores da equipa dos leões de Lisboa porque da equipa paulistana nem um dos nomes nos aflora à mente. Será relevante dizer que esta partida teve lotação esgotada com assistência de quase cinquenta e sete mil pessoas [56 448], em recinto ainda inacabado, note-se bem, e projectado para comportar 120 mil assistentes.

Photobucket
álbum de fotos uol - álbum de fotos folhaonline

Em 1970 [25 de Janeiro] não estavam presentes os 120 mil, mas exactamente 107 069, aquando da [re]inauguração do Morumbi agora "prontinho em folha". Para a festa foi novamente convidado um "grande de Portugal", desta feita os homens de Dragão ao peito. Da ficha de jogo consta um empate final a uma bola com golo portista a ser marcado por Vieira Nunes [também envergou a camisola preta da Briosa]. Do lado do tricolor paulista "conhecemos" Gérson, campeão mundial em 70 no México, e do lado do FC Porto, muitos: Vaz [guarda-redes natural de Penalva do Castelo], Valdemar e Sucena, Rolando e Seninho, Nóbrega e o malgrado Pavão que viria a falecer em pleno Estádio das Antas em 1973. Na constituição da equipa aparece-nos ainda um "Gomes" que não sabemos quem seja, mas não pode de maneira alguma ser o goleador Fernando Gomes [nesta altura o bi-Bota de Ouro tinha 14 anos], contudo cremos que o sobrenome Pinto deve referir-se a Custódio Pinto e o Chico é, deve ser, Chico Gordo nascido em Angola.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:10




calendário

Outubro 2010

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31